História da Assembleia de Deus em Imperatriz

Uma história de lutas, dedicação e vitórias no Reino de Deus.

Fundação da Assembleia de Deus em Imperatriz

Há 66 anos, quando ainda a pequena Imperatriz não passava de uma vila espremida entre o campo de avião e o rio Tocantins, chegava o pastor Plínio Pereira de Carvalho, para fundar a Assembléia de Deus em Imperatriz-MA. O trabalho começou com o histórico culto no dia 16 de setembro de 1952 em uma casa recém adquirida por aquele obreiro. Essa data constitui o marco de fundação da IEADI. O grupo pentecostal era composto por 16 pessoas: Maria Rodrigues Carvalho, Marcos Rodrigues Bandeira, Rosa Rodrigues Bandeira, Jorge Pereira da Silva, Francisca Bandeira da Silva, Januário Rodrigues Bandeira, Pedro Pereira Rocha, Nenem Bandeira, Amadeu Bandeira, Maria Doraci Bandeira, Felícia Rodrigues Bandeira (Bilú), Evarista Rocha e Maria de Jesus Coelho. Esses foram os primeiros crentes que deram o brado de largada na proclamação do Evangelho.

Passados alguns meses, a novel igreja adquiriu um salão para melhor acomodação dos seus fieis, pois o número aumentava de modo significante a cada dia. O primeiro salão utilizado para os cultos ficava à Rua Gonçalves. Em 1954, houve a necessidade de se comprar um terreno. Os irmãos cheios de muita fé e coragem, decidiram por unanimidade comprar do senhor Cesário, um terreno situado à Rua 15 de Novembro, 507, esquina com a Rua Gonçalves Dias, local onde foi construída a primeira casa de oração da Assembleia de Deus em Imperatriz, inaugurada em 1º de Setembro de 1957, quando realizou-se uma grande convenção regional.

Transferência de obreiros

O trabalho em Imperatriz teve um crescimento surpreendente num curto espaço de tempo. Na época Amarante-MA já possuía um trabalho bem maior, sob a liderança do pastor Luiz de França Moreira. Assim, em 1954, por determinação convencional, ocorreu a permuta dos pastores Plínio Pereira de Carvalho e Luiz de França Moreira. Após a mudança de Amarante para Imperatriz, o Pr Luiz de França Moreira passou a viver suas primeiras experiências na condição de pastor presidente da Assembleia de Deus em Imperatriz. Era ainda um tanto jovem, possuía uma boa saúde, demonstrava ter um conhecimento secular de bom nível, não possuindo nenhuma marca de avareza, requisitos indispensáveis a um servo de Deus.
O pastor Moreira tinha como esposa a irmã Maria Moreira (MAROCA), mulher sábia, conselheira, de oração e muito querida da igreja. Assim, não poderia deixar de dar certo o projeto que Deus houvera posto em seu coração. Em 1955 a Assembleia de Deus em Imperatriz já podia somar 202 crentes, entre membros e congregados, frutos de um trabalho laborioso do pastor Plínio e dos poucos irmãos fundadores dessa grande obra, realizada em pouco mais de dois anos.

A Expansão da Igreja

A Igreja Evangelica Assembleia de Deus em Imperatriz não se limitou apenas à cidade. O desejo de alcançar as almas perdidas era muito forte, envolvendo a liderança e também toda a igreja. Com a chegada da Rodovia Belem-Brasilia (BR 010) em 1960, ocorreu o surgimento de vários vilarejos, especialmente às suas margens. O primeiro povoado a ser alcançado foi Açailândia, que era apenas um acampamento dos trabalhadores que a construíram. Nesse avanço evangelístico, a igreja alcançou outros povoados como: Perdios, Cajuapara, Itinga, Água Azul, Concrem e Ligação, sentido Norte. Estes 03 últimos pertencem ao Estado do Pará. Em 1963, o pastor Luiz de França Moreira transferiu de forma harmoniosa as congregações dos referidos povoados para a Convenção Paraense, que na época estava sob os cuidados do Pr. Alcebíades Pereira de Vasconcelos.

Na direção Sul, sentido Brasília, a igreja evangelizou centenas de pessoas, organizando vários pontos de pregação, no afã de cumprir o Ide de Jesus. Com esse desdobramento, chegou-se até o povoado de Lajeado, onde se organizou uma congregação. Nos dias atuais, Lajeado possui uma grande igreja, sediando um campo mui promissor.

Com a abertura da rodovia que liga Açailândia a Santa Inês (BR-222), abriu-se novas frentes de trabalho em povoados que iam surgindo ao longo de suas margens. Foram eles: Pequiá, Córrego Novo e Bacabal.

Nas margens do Rio Tocantins, fazendo-se uso de pequenos barcos, o Evangelho alcançouo povoado Sampaio. Ali foi organizada mais uma congregação, tendo como fundador e primeiro dirigente o saudoso Manoel Pereira de Carvalho (Alfaiate). Hoje, aquela cidade pertence ao estado do Tocantins, e esses lugares evangelizados pela Assembleia de Deus de Imperatriz, possuem grandes igrejas sedes. As mesmas avançam, seguindo exemplarmente o modelo da igreja-mãe.

Vieram os anos 80 e o velho guerreiro pastor Luis de França falece em 15 de julho de 1984. Depois do seu falecimento assume em seu lugar o pastor Jose Ribeiro de Sousa. No mesmo ano o pastor Jairo Saldanha de Oliveira, que hoje dorme no Senhor, assumiu a presidência e com ele veio o sonho do grande Templo Central, cuja construção teve o início em 1986 e terminou em 1999 já sob a liderança do pastor Raul Cavalcante Batista que assumira a presidência em 1993, sucedendo aos pastores Daniel Rodrigues e Sebastião Andrade de Sousa. O Templo comporta 12 mil pessoas sentadas e é o segundo maior do Brasil.

Pastor Raul Cavalcante alavancou ainda mais o crescimento da IEADI que contava com 31 congregações quando assumiu a igreja. Em 23 anos de pastoreio da Assembleia de Deus em Imperatriz, Pr Raul Cavalcante organizou cerca de 200 congregações, a maioria das quais com templos próprios construídos.

Pôde-se perceber nitidamente que, nas últimas duas décadas, o avanço do Evangelho em Imperatriz e região deu-se de um modo acelerado. O extraordinário crescimento da Igreja que se verificou nesse período, foi ocasionado, especialmente pelo fato de seu envolvimento mais expressivo com a obra missionária, que trouxe um grande despertamento para todos os cristãos salvos em Cristo Jesus que se congregam na IEADI.

Muitas vilas e povoados, não só em Imperatriz como em diversas partes do Brasil e do mundo foram literalmente bombardeados pela pregação da Palavra de Deus, através dos vários missionários envolvidos pela IEADI, os quais protagonizaram a plantação de uma numera quantidade de igrejas por todos os campos por onde já passaram e nos lugares em que trabalham atualmente.

Simultaneamente ao desenfreado crescimento da obra de Deus nos campos missionários onde atuamos, a cidade de Imperatriz é agraciada com ricas bênçãos de Deus em todos os sentidos. A prosperidade da Igreja repercute-se em todas as camadas sociais, pois a vida politica e socioecômica de um povo possui dimensões diretamente proporcionais à sua projeção espiritual.

Em dimensões humanas, jamais se poderá medir a magnitude desse trabalho que vem sendo desenvolvido pela IEADI, sob a égide e o poder do Espírito Santo, ao longo de sua profícua existência em nossa cidade, cuidando da proclamação do Evangelho Pleno, sem máscaras ou distorções. A Assembleia de Deus em Imperatriz tem demonstrado no decorrer destes 65 anos que sua preocupação maior sempre foi e continua sendo verdadeiramente com as pessoas, não simplesmente no que concerne às suas necessidades espirituais, que na realidade são as mais importantes, mas também não deixando de suprir suas carências materiais, vislumbrando o comprometimento mútuo de cada ser humano dentro do grupo social em que vive, tornando-o gradativamente mais moral e sociável pelo exercício de um cristianismo autêntico, moldado às formas do constante ensino da Palavra de Deus.

O visível crescimento desta Igreja retrata o compromisso da construção do Reino de Deus aqui na terra, por vidas que alcançaram o Novo Nascimento e que são possuídas do inflamável desejo de ver outras pessoas bebendo da mesma fonte.

A Deus toda glória!

Primeiro templo da Assembleia de Deus em Imperatriz, (Rua 15 de Novembro, atual congregação Jerusalém).

Pioneiros da Assembleia de Deus em Imperatriz.

A cidade de Imperatriz no início da década de 1960.

Pastores Jairo Saldanha de Oliveira, Luis Gonçalves e José Ribeiro, no dia 24 de agosto de 1986, lançam a Pedra Fundamental para construção do Templo. Primeira oferta da igreja para o início das obras de construção.

Início de 1996, o Templo Central já começa apresentar sua exuberância como casa de oração.

Cerimônia de inauguração do Templo Central em dezembro de 1999.